quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Renault 5 Turbo

Na minha juventude, e na de muitos da mesma geração, existiam automóveis sem qualquer magia, considerados completamente vulgares e às vezes até odiados, como por exemplo o foi, a dada altura, o VW Brasília. Poderia citar vários modelos, carros que achava sem interesse, mas hoje em dia, não me importava nada de ter alguns deles se a minha carteira e garagem o permitisse. Nada de novo até aqui, o crescente interesse pelo que é antigo e que de certa forma marcou a vida das pessoas tende a ser olhado com uma certa nostalgia e com profunda admiração.


É o caso, por exemplo, e centremo-nos somente em um, de um certo Renault 5, carro que considerava vulgar e sem piada, quase esquecido na minha memória e que me fez, recentemente, ficar bastante tempo a apreciar todas as suas curva. Como disse, é um certo Renault 5, na sua versão Turbo, exteriormente irrepreensível, com as jantes especiais da época e absolutamente cativante.

Fiquei a pensar cá para mim, ..."porque é que eu não gostava desta maravilha?" ...é caso de psicólogo.

Bem perto deste estava um outro da mesma época e com a mesma ordem de ideias, um Citroen Visa GT, que infelizmente não me conseguiu cativar da mesma forma.


Sem comentários:

Publicar um comentário